Top Runs

O blog Comics Should Be Good, do CBR, recentemente pediu aos leitores que listassem suas runs favoritas, com o objetivo de criar um Top 100. Bem, aqui está a lista. Como é da natureza deste tipo de lista, alguns itens foram supervalorizados enquanto outros foram subvalorizados. Aqui estão cinco que achei supervalorizados e cinco que achei subvalorizados.*

Super:

1) 62. O Quarteto Fantástico de Waid e Wieringo. Histórias leves e engraçadas, conceitos novos e interessantes, senso de humor… mas nada de muito novo. Até mesmo o uso de Jack Kirby enquanto Deus não foi novidade, pois Alan Moore fez a mesma coisa em uma de suas últimas edições de Supreme.

2) 41. Os Vingadores de Kurt Busiek. Os leitores do do CSBG consideraram que o trabalho de Busiek foi superior ao de Roy Thomas e de Roger Stern. Busiek fez boas histórias, apesar de ter forçado o uso de alguns personagens próprios particularmente fracos (Garra de Prata, Triatlo), mas nada do que ele fez se equipara a “até um andróide pode chorar” (Thomas) ou ao ataque dos Mestres do Terror.

3) 32. Os Supremos de Millar e Hitch. No máximo medíocre. No máximo. Em dados momentos parece uma paródia da Liga do Morrison. Falando nisso…

4) 13. A Liga da Justiça de Grant Morrison. Tudo que eu disse sobre o Quarteto de Waid e Wieringo vale aqui.

5) 1. O Sandman de Neil Gaiman. Sandman é legal, Sandman é inteligente, Sandman é profundo. Mas, convenhamos: Sandman também é uma série que se leva incrivelmente a sério e depende bastante da sensação de estar lendo Uma Obra de Arte Importante. Em vários momentos, é como uma obra modernista que sempre será mais amada pela crítica do que por leitores de verdade.

Sub:

1) 100. O Mestre do Kung Fu de Doug Moench. Ação. Suspense. Mistério. Romance. Intriga. A última história de Shang Chi foi a primeira que li, e teve um efeito no meu cérebro semelhante ao uso de LSD entre certos artistas da década de 60. Falando em LSD…

2) 88. O Dr. Estranho de Stan Lee e Steve Ditko. O surrealismo puro e a experimentação formal de Ditko não podem ser subestimados. Antes do Dr. Estranho de Ditko, apenas Kirby e Eisner com tanto poder visual. Em um mundo justo, quadrinhos aleatórios daquelas edições de Strange Tales estariam pendurados em museus pelo mundo.

3) 77. O Super-Homem de John Byrne. Muitas das inovações de Byrne estão sendo deixadas de lado nos últimos anos, mas aquela série praticamente restabeleceu a possibilidade de se contar boas histórias com Kal-El e resgatou conceitos centrais do personagem. Pessoalmente, creio que suas versões para Lex Luthor e Krypton são as melhores.

4) 61. O Homem de Ferro de David Michelinie e Bob Layton. Em última análise, o personagem não existia de verdade antes de Michelinie/Layton, e praticamente tudo que se seguiu foi conseqüência ou influência destas histórias. Aquele filme trimmmassa no cinema? Michelinie/Layton. A seqüência que virá em uns dois anos? Michelinie/Layton. O alcoolismo, a intriga corporativa, as mulheres, James Rhodes? Michelinie/Layton.

5) 28. O Esquadrão Suicida de John Ostrander. Bumerangue. Pistoleiro. Waller. Oráculo. Não há uma única história do Esquadrão que não seja excelente, não há um único personagem mal-aproveitado.

* Os comentários excluem várias coisas que não li ainda, como Fables e 100 Bullets. Sim, eu sei que é uma lista de “favoritos”, não de “melhores”; humor me.

This entry was posted in Quadrinhos. Bookmark the permalink.

3 Responses to Top Runs

  1. Emiliano says:

    Adorei que em 9º lugar está a Liga da Justiça de palhaçada.
    http://goodcomics.comicbookresources.com/2008/04/25/top-100-comic-book-runs-9-7/

    Fico muito feliz de ter lido tanta coisa. O “100 balas” eu tenho do 1 ao 36 mas nunca me conquistou. Não sabia para quem passar adiante, agora sei.

  2. alexandre r. says:

    gosto do esquadrão suicida. boa companhia nas revistas da liga da justiça.

  3. Wagner Zimmermann says:

    Eu e o Luiz estavamos discutindo exatamente isso, o que foi superestimado e o que foi subestimado na lista. Lá vai a minha listinha.

    Sub

    Garth Ennis’ Hellblazer: Tá, não é uma maravilha, mas não merece ficar na posição 93. Tem muita coisa pior na frente.

    Chris Claremont’s New Mutants: Pouca gente leu isso, mas é sensacional.Mesmo.

    Will Eisner’s The Spirit: Top 10. O pessoal que fez a lista(votou) não leu muito os clássicos pelo visto.

    Frank Miller and David Mazzucchelli’s Daredevil: Comprovando o que eu disse acima.

    Stan Lee and John Romita’s Spider-Man: Merecia estar mais pra frente.

    Brian Michael Bendis and Mark Bagley’s Ultimate Spider-Man: Não entendi essa.

    Ia fazer a com os superestimados mas agora a lista mudou, e que tiraram dois dos meus alvos principais – Aranha do Mcfarlane e Xmen do Lee – perdi a vontade. Ficou mais justo as cinco primeiras posições.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>