O fracasso das greves em fast foods

Segundo o USA Today, centenas de funcionários de restaurantes de fast food aderiram a uma greve de um dia hoje. Centenas. Vamos ser generosos e dizer que foram mil. Isso significa que a greve foi um fracasso retumbante.

Só o McDonald’s tem cerca de 1.700.000 funcionários, e a greve também teria envolvido KFC, Wendy’s e Burger King, entre outras. Se todos os grevistas estivessem no Brasil e trabalhassem no McD (onde a empresa tem 50.000 funcionários), seria menos de 2% de ausência da mão de obra. Nesse ramo, o efeito seria praticamente impossível de distinguir do absenteísmo normal. E melhor nem entrar na questão dos ativistas políticos que fingem ser funcionários em greve e figurantes mal-pagos que costumam ser os principais participantes desse tipo de evento, transformando algo que pretende ser Realismo Socialista em Teatro do Absurdo.

A história toda me lembra a tentativa de fazer greves em Walmarts nos Estados Unidos, como descrito por Megan McArdle no ano retrasado, e do post de Jessica Flanigan sobre o preconceito de classe inerente a essas greves. Ideias a manter em mente da próxima vez que uma manifestação desse tipo for anunciada e elogiada nas redes sociais por gente que nunca come em restaurantes de fast food.

This entry was posted in Comida, Economia. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *