O Amadorismo da Hamburgueira 1903

Fui almoçar com minha esposa na Hamburgueria 1903, a rede de fast food que o Grêmio abriu na Rua da Praia. O pão e a carne e a batata eram melhores do que eu esperava. O resto, pior:

  • Para um restaurante que recém abriu, limpeza não parece ser uma preocupação importante. Vi mesas passarem bastante tempo sujas enquanto funcionários ficavam ociosos no caixa. Uma pessoa não uniformizada, talvez o gerente, limpava e arrumava o local de tempos em tempos.
  • A decoração é extramente impessoal. Algumas bolas, camisetas e troféus nas paredes, mas nada identificado ou característico. Nada de fotos autografadas, cartazes de times campeões, imagens de torcedores, artefatos realmente antigos, nada. Os monitores estavam passando um jogo de vôlei na SporTV. Não um jogo clássico do Grêmio ou um documentário sobre o time, mas apenas o mesmo que passa em qualquer restaurante do bairro.
  • Um dos nossos pedidos acompanhava coleslaw e maionese da casa, nenhum dos quais apareceu na nossa bandeja. Só percebemos a ausência quando fomos repassar o cardápio. Não deu vontade de reclamar.
  • O cardápio é um problema. Os nomes pouco descritivos e a letra pequena na sinalização do caixa e nos menus dificulta a escolha antes da chegada no caixa. Nada disso deve estar ajudando a eficiência do restaurante, o que explica as filas enormes que vi em horários de almoço mais tradicionais (nosso almoço foi às 14:30).
  • Fizemos o pedido no caixa e esperamos nosso número ser chamado com um grito, não com uma sinalização eletrônica. Cartazes de papel A4 pediam aos clientes para só escolher mesas depois de fazerem seus pedidos no caixa.
  • Nada de sobremesas. Qual é a dificuldade de comprar uma máquina de sorvete italiano e vender creme + creme com anilina?

Usar uma marca de time de futebol em um restaurante sugere que a comida vai ser uma preocupação secundária, mas a loja que encontrei parece não entender que a experiência precisa ir além de listras tricolores nas paredes e o logotipo do Grêmio em mesas de plástico. Se eu tivesse dinheiro para tanto, uma visita ao local não teria me dado vontade de ser franqueado. Duvido que visitarei o local muitas vezes, apesar de ficar a uma quadra do meu apartamento.

(Também no quesito “franquias no Centro Histórico de Porto Alegre”, o quiosque de picolés mexicanos Mexicas Fest no Rua da Praia Shopping é uma imitação pálida das opções que andaram aparecendo em outros shoppings da cidade (no caso, a rede Los Paleteros). O cardápio tem bem mais opções, mas as primeiras quatro ou cinco que pedi não estavam disponíveis. Menos variedade, mas um suprimento mais garantido, teria sido uma escolha melhor. Isso, e contratar alguém que conhece a palavra “baunilha” para revisar o cardápio antes da impressão. Aliás, precisar de um cardápio impresso por causa do número de opções é um mau sinal para um quiosque de shopping.)

This entry was posted in Comida. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *